Pinto da Costa é “finito”

Quando, em Junho de 2011, Villas Boas decidiu trocar o FC Porto pelo Chelsea, escrevia eu aqui que Pinto da Costa era o único insubstituível.

Quero-vos pedir desculpa por tal afirmação.
Porque, como muitas vezes o próprio Pinto da Costa nos disse, de insubstituíveis está o cemitério cheio.

Foi já no longínquo ano de 2008 que escrevi uma carta aberta ao presidente Pinto da Costa, sobre a posição assumida pelo clube durante o Apito Dourado. Sendo uma posição estratégica ou não, é algo que nunca concordei e não perdoarei ao presidente.

Mas nada supera a surreal entrevista dada ao Jornal de Notícias esta segunda-feira. Depois de ler uma entrevista com este teor, fico com aquela sensação de vergonha alheia.

Conheci um Pinto da Costa que, bem ou mal, cortava relações com o filho Alexandre só porque desviou um qualquer João Manuel Pinto (quem?) para o Benfica.
Conheci um Pinto da Costa que, bem ou mal, enfrentava o poder político, Eduardo Catroga e a famosa retrete do estádio das Antas.
Conheci um Pinto da Costa que servia o FC Porto e não permitia que alguém se servisse dele, não tendo qualquer pejo em afastar da direcção quem quer que fosse, se visse que isso serviria os superiores interesses do clube.

Hoje apenas conheço um idoso que diz que contratou um treinador – Lopetegui – e jogador – Adrian Lopez – por indicação de um empresário. E que apesar de ainda estar a pagar (parte de) o salário de Lopetegui e de ainda ter o jogador que diz ser um peso morto na equipa, os enxovalha na praça pública.

Hoje apenas conheço um idoso que diz que apenas por obra de um empresário – por sinal seu filho – conseguiu vender talvez o melhor central da equipa – Rolando – e manter uma das maiores promessas do futebol jovem do clube – Rui Pedro – apesar deste estar no clube desde 2011/12. E que se esquece de dizer que esse mesmo empresário – por sinal seu filho – receberá 100 mil euros (!!!) ao 10º jogo do tal jovem. Só porque sim.

Hoje apenas conheço um idoso que não permite que se fale (mal) do seu filho, mesmo quando isso significa apenas questionar porque razão este ganha milhões de euros em comissões de jogadores não agenciados por si.

Hoje apenas conheço um idoso que diz que quer acabar com os negócios com a Nigéria, Malásia e Mali – onde se pagaram milhões em comissões nos últimos anos – e dar prioridade ao “nascidos no país” mas que não justifica a contratação de Depoitre ou a necessidade do empréstimo de Areias pelo Guimarães. E para pontas de lança ainda temos Gonçalo Paciência, Suk, Marega, Sami, Walter, Aboubakar e Adrian Lopez, todos eles melhores que Depoitre, que não tem culpa de ter sido contratado.

Hoje apenas temos um idoso que diz que fazemos excelentes negócios mas que se recusa a explicar o negócio MEO, a suposta oferta NOS/Joaquim Oliveira e os rumores sobre comissões pagas pela Altice como prémio de assinatura dos contratos de direitos televisivos.

Hoje apenas conheço um idoso que não tem problemas em atacar todos os sócios e adeptos que não sejam membros de claques, os únicos verdadeiros portistas, nas palavras do dito idoso. Talvez isso tenha algo a ver com o facto de após mais uma derrota – a eliminação da Taça de Portugal em Chaves – ter sido posto a circular a notícia de que quem ousasse fazer frente à equipa na chegada ao Porto, teria que se haver com os Super Dragões.

Disse há uns tempos e repito-o aqui para que fique registado: Pinto da Costa deveria ter saído nas eleições do ano passado e percebido que não tem condições para continuar. Ele sabe que continuará até ao dia que quiser. Infelizmente sairá pela porta pequena depois de ter levado este clube ao Olimpo, trazendo-o de volta à terra.

Mas a culpa é “dos blogues”.

São eles os culpados por estarmos sem ganhar um único título há 1224 dias e não termos uma única taça para colocar no Museu inaugurado há 1174 dias.