O carrasco de Assunção Esteves

Já não escrevia aqui há meses. Meses.

Mas hoje, enquanto conduzia, ouvi na rádio os acontecimentos na Assembleia da República (AR)

Cerca de 60 pessoas, pediam a demissão do governo e interromperam o plenário.

No final, Assunção Esteves, enquanto pedia respeito para os deputados citou Simone de Beauvoir, chamando diretamente carrascos aos Portugueses e comparando-os aos opressores Nazis que invadiam França em plena II Guerra Mundial.

À doutora Assunção Esteves só tenho a dizer umas coisas:

  • Quem quer ser respeitado não pode ofender quem (não) lhe paga…
  • Não pode ter medo de ser julgada e avaliada diariamente. A AR é um espaço dos Portugueses e não admito que centena e meia de homens e mulheres se achem superiores aos restantes 10 milhões;
  • Não pode prescindir do lindo ordenado de 5.219,15€ que ser Presidente da AR lhe conferiria só para manter a reforma de 7.255€ que 10 anos no tribunal Constitucional lhe conferem, e não prescindir de 2.133€ de ajudas de custo.
  • Não pode, só porque ficou muito incomodada com meia dúzia de gritos, dizer que quer mudar as regras de acesso à galeria da AR.

Pois deixem-me terminar de uma forma clara, para que não fiquem duvidas.

Eu aqui, carrasco de Assunção Esteves me assumo e pela grave ofensa às dezenas de Portugueses que se manifestaram (mesmo sem ter o direito de o fazer) e a todos os Portugueses, só posso dizer: obviamente demita-se!

Se o primeiro cargo da democracia Portuguesa está ocupado por um velho inoperante – e que ontem se lembrou de colocar um carimbo de validade a um governo democraticamente eleito – o segundo cargo da hierarquia não pode estar ocupado por quem compara Portugueses com os carrascos Nazis. Não pode!!!

search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close