Incompetentes! IN-COM-PE-TEN-TES!

O título desta entrada estava programada para ser “P’rá puta que os pariu!”. Felizmente, fui educado a não usar palavrões pelo que uso um adjectivo bem mais simpático.

Vamos lá ver se percebo – não percebo, mas escrevendo pode ser que alguém me explique:

  • Sexta-feira, 7 de Setembro, Pedro Passos Coelho, a besta, anuncia um aumento de 63% naquilo que eu já pagava para a segurança-social; Nenhum corte na despesa; Nenhuma explicação de como vai atingir o défice deste ano ou do próximo;
  • Terça-feira, 11 de Setembro, Victor Gaspar, anuncia mais uma série de medidas austeras entre as quais a eliminação de escalões de IRS o que fará com que  muitos portugueses paguem ainda mais impostos; Desloca-se à SIC Notícias é trucidado por José Gomes Ferreira – um dos últimos jornalistas alinhados à direita que ainda estava ao lado do governo – e indica que não haverá mais medidas para 2012 e 2013;
  • Ontem, dia 12, Victor Gaspar vai ao parlamento. Pelo meio lança a bomba de que podem chegar ainda mais medidas temporárias para controlo da despesa. Lembro que no meio das medidas temporárias para controlo da despesa, só cá em casa já se foram 5% do ordenado da Filipa, 50% acima do ordenado mínimo meu e da Filipa no subsídio de Natal do ano passado, um subsídio de férias deste ano da Filipa. Isto são as medidas temporárias que têm sido anunciadas pelo governo desde que tomou posse. Medo portanto.

Pergunto agora eu a estes grandessíssimos incompetentes se o objectivo é acabar de vez com o País? Julgam que alguém consegue gerir um orçamento familiar sem saber com o que conta amanhã? Ou pensam vossas excelências que o povo português pode abrir as goelas e pedir que o dinheiro lhe seja entregue de mão beijada?

Desculpem que vos diga mas são uns incompetentes. Aliás, desculpem o caralho (ups!) que nada fiz de mal para vos pedir desculpa.

São uns amadores ou, pior, uns habilidosos corruptos, porque, ou não sabem fazer as coisas ou sabem perfeitamente o que estão a fazer e estão a cagar para o povo que dizem governar.

As surpresas que vossas santidades têm preparadas para o povo e para o país são diárias.
Nenhuma empresa do mundo – nenhuma – há-de querer investir em Portugal agora. Não é possível governal – ou ficaria melhor destruír? – um país desta forma. Sem rumo! Sem certezas! Sem uma orientação! Sem esperança!

No meio disto tudo Manuela Ferreira Leite consegue colocar-se mais à esquerda que o próprio Bloco de Esquerda ou o PCP, Mário Soares só não vai à manifestação de sábado porque “tem que ir ao Algarve” e ninguém sabe nada do Paulinho das Portas, o amigo da coligação há quase uma semana.

Ah, e quase me esquecia. Cavaco – sim eu sei, é um amigo de estimação antigo por aqui – o homem que, cheio de coragem, interrompe as férias de verão de 2008 para fazer uma comunicação ao país por causa do novo estatuto dos Açores não consegue perceber que tem o país a saque e o povo indignado e não nos consegue – a nós, o povo – dizer uma palavra? Eu não estava à espera de nada – deixei-o bem claro várias vezes por aqui – mas os 2,231,956 de Portugueses que votaram nele se calhar esperavam outro tipo de atitude.

Sobre o Seguro não vou falar. Não porque não tenha algo para dizer, mas sim porque acho que não vale a pena e é tempo perdido (meu). Se for Seguro que o futuro nos reserva… espero estar enganado…