Excelência na Gestão

Disclaimer: Este artigo tem 2 anos. Encontrei-o na minha lista de drafts, os artigos que nunca (ou ainda não) foram publicados. Acho-o mais actual que nunca, por isso passou a artigo…


Estava eu a percorrer os meus feeds rss e deparei-me com este post num dos blogs que subscrevo…

Não hesitei em transcrever o post – do qual esta é a referência original…

Doze consequências de uma gestão de excelência:

  1. Sei o que é esperado de mim no trabalho;
  2. Possuo todos os materiais e equipamentos necessários para realizar o meu trabalho correctamente;
  3. No trabalho tenho a oportunidade de fazer o que sei fazer melhor;
  4. Na última semana recebi elogios ao meu bom trabalho;
  5. O meu chefe preocupa-se comigo de um ponto de vista pessoal;
  6. No trabalho encorajam o meu desenvolvimento pessoal;
  7. No trabalho as minhas opiniões têm importância;
  8. Os objectivos da minha empresa fazem-me sentir que o meu trabalho é importante;
  9. Os meus colegas de trabalho estão empenhados em desenvolver trabalho de qualidade;
  10. O meu melhor amigo trabalha comigo;
  11. Nos últimos seis meses alguém no trabalho veio falar comigo sobre os meus progressos;
  12. No último ano foram-me dadas oportunidades de formação.

No artigo original está também uma imagem sobre a motivação no trabalho e que também não hesito em “copiar”.

Os três tipos de empregados

Basicamente, mostra que os empregados activamente desligados da empresa são o maior perigo já que tendem a minar a confiança daqueles que estão desmoralizados ou mesmo dos que se sentem empenhados.

E tu? Em qual dos três estados te encontras?