A Guerra dos Professores [II]

Penso que o braço de ferro entre o Governo e a plataforma sindical que representa os professores está para durar.

Por ter uma professora em casa, percebo e acompanho as movimentações dos sindicatos e dos professores. Como não tenho ninguém pertencente ao governo por perto, não sei o que se passa do outro lado da barricada…

Do lado dos professores, a mobilização é constante. A troca de email’s e notícias, é diária. A referência a blogues que contém posições semelhantes e concordantes às tomadas pela plataforma é ordem do dia.

Hoje, mais uma vez, tive o prazer de receber mais um desses exemplares:

O exemplo britânico.

Os pais dos alunos com comportamentos violentos nas escolas britânicas vão passar a ser multados num valor que pode ir até aos 1450 euros.

As intimidações verbais e físicas não podem continuar a ser toleradas nas nossas escolas, seja quais forem as motivações‘ sublinhou a Secretária de Estado para as Escolas.

Disse também que ‘ as crianças têm de distinguir o bem e o mal e saber que haverá consequências se ultrapassarem a
fronteira
‘.

Acrescentou ainda que ‘vão reforçar a autoridade dos professores, dando-lhes confiança e apoio para que tomem atitudes firmes face a todas formas de má conduta por parte dos alunos‘.

(itálico e negrito são da minha responsabilidade)

O texto continuava. Não continha referências e a única coisa que consegui encontrar foi uma dúzia de comentários em blogues vários e a entrada, em Maio de 2008, no blogue auto-intitulado Movimento Professores Revoltados.

No entanto, dando de barato que a notícia é verdadeira, tenho que reconhecer que concordo que o exemplo britânico seja adoptado em Portugal.

Proponho até que a plataforma sindical não se fique pelo que lhe interessa e importe todo o exemplo britânico para Portugal.

Por exemplo, porque não juntarem na mesa de negociações a semana de trabalho com 35 horas?

Porque não, serem completamente transparentes e deixarem de marcar greves para dias convenientes para a realização de pontes ou junto ao fim-de-semana?

Porque não dar desde já um sinal de boa fé e dizer que não vão prejudicar os seus alunos e as suas avaliações?

Porque não comprometerem-se já, ano de eleições, a apenas fazerem greve em períodos não-lectivos?

Porque será que acho, que esticando a corda, os professores vão levar a vontade deles até ao fim?

Será que é por ser ano de 3 eleições? Ou será porque este governo já mostrou antes que não tem tomates para levar uma decisão (por dura que seja) até ao fim – basta lembrar o que se passou com os camionistas ou com o estatuto político dos Açores?

18 Replies to “A Guerra dos Professores [II]”

  1. Marília says:

    Quando leio os teus comentários só me ocorre o seguinte: ou tens muito tempo livre ou passas a vida no computador a navegar, em busca de informação. Como consegues? Eu, quando saio do trabalho, não me apetece sequer chegar perto do computador. É que as dores nas costas já são muitas…

  2. Marília says:

    Quando leio os teus comentários só me ocorre o seguinte: ou tens muito tempo livre ou passas a vida no computador a navegar, em busca de informação. Como consegues? Eu, quando saio do trabalho, não me apetece sequer chegar perto do computador. É que as dores nas costas já são muitas…

  3. É realmente muito fácil…

    Para começar um post raramente é publicado no dia em que é começado. E poucas vezes gasto menos de 2 horas em posts com conteúdo.

    Depois é tudo uma questão de organização. Esta semana, com o Hugo e a Helena doente e eu por casa, o tempo que passo no computador aumentou e o tempo de televisão passou a ser marginal (apenas tenho visto tv para adormecer). Também é verdade que se acaba por tirar onde mais dói. Ao descanso e à cama.

    Mas muitas vezes nem é preciso navegar muito.
    Eu cultivo mais a opinião que deve ser a informação que nos interessa a vir ter connosco em vez de sermos nós a andar à procura “dela”. E devemos conseguir rodear-nos das ferramentas apropriadas para tal.

  4. É realmente muito fácil…

    Para começar um post raramente é publicado no dia em que é começado. E poucas vezes gasto menos de 2 horas em posts com conteúdo.

    Depois é tudo uma questão de organização. Esta semana, com o Hugo e a Helena doente e eu por casa, o tempo que passo no computador aumentou e o tempo de televisão passou a ser marginal (apenas tenho visto tv para adormecer). Também é verdade que se acaba por tirar onde mais dói. Ao descanso e à cama.

    Mas muitas vezes nem é preciso navegar muito.
    Eu cultivo mais a opinião que deve ser a informação que nos interessa a vir ter connosco em vez de sermos nós a andar à procura “dela”. E devemos conseguir rodear-nos das ferramentas apropriadas para tal.

  5. Marília says:

    Lindo!

  6. Marília says:

    Lindo!

  7. Não percebi o “Lindo!”… 🙁

  8. Não percebi o “Lindo!”… 🙁

  9. Marília says:

    Gostei da conclusão. Foi uma mensagem profunda.
    Já agora, como é que eu subscrevo o feed?

  10. Marília says:

    Gostei da conclusão. Foi uma mensagem profunda.
    Já agora, como é que eu subscrevo o feed?

  11. Tens um link ali em cima que diz [Entradas (RSS)].

    O que vais usar como leitor de feeds?

  12. Tens um link ali em cima que diz [Entradas (RSS)].

    O que vais usar como leitor de feeds?

  13. Marília says:

    Olha, não percebo nada. Pensei que assim conseguia receber um aviso pelas tuas actualizações mas não sabia que precisava de um leitor de feeds. É assim que se aprende…

  14. Marília says:

    Olha, não percebo nada. Pensei que assim conseguia receber um aviso pelas tuas actualizações mas não sabia que precisava de um leitor de feeds. É assim que se aprende…

  15. 🙂

    Usa o Google Reader.

    Depois de entrares, carregas em Add a subscription e colocas o URL da feed.

    Depois, basta teres o google reader aberto com todos os feeds que subscreveres.

    Alternativamente, pegas na tua conta do twitter e começas a seguir-me [seja pelo apsoares ou pelo planetasoares]. Depois só precisas de um cliente twitter (acho este muito bom) e és avisada no momento.

  16. 🙂

    Usa o Google Reader.

    Depois de entrares, carregas em Add a subscription e colocas o URL da feed.

    Depois, basta teres o google reader aberto com todos os feeds que subscreveres.

    Alternativamente, pegas na tua conta do twitter e começas a seguir-me [seja pelo apsoares ou pelo planetasoares]. Depois só precisas de um cliente twitter (acho este muito bom) e és avisada no momento.

  17. Marília says:

    Depois falamos melhor sobre estas modernices. Tenho que ir a tua casa com o meu computador para me guardares no teu disco o meu backup e para me dares umas séries e filmes fixes.

  18. Marília says:

    Depois falamos melhor sobre estas modernices. Tenho que ir a tua casa com o meu computador para me guardares no teu disco o meu backup e para me dares umas séries e filmes fixes.

Comentários fechados.