O que fazer?

Ontem, quando regressava do trabalho para casa (para quem não sabe, de Leça do Balio em Matosinhos para Braga) deparei-me com uma situação inesperada e nada agradável.

Na estrada nacional N14, que liga Braga ao Porto, uns 10 km’s antes de entrar em Braga, encontrei fila de uns 4/5 carros. Estranhei, ainda para mais sendo à hora que era (cerca das 20h30).

Percebi então que, minutos antes, um condutor a circular no sentido contrário tinha atropelado um cãozito e que este tinha vindo parar à “minha” faixa de rodagem (não, não vi “o momento”, e dou graças por isso). O condutor estava a colocar o triângulo e tinha ficado parado no local da ocorrência. Aparentemente o carro não tinha sofrido qualquer dano pelo atropelamento e, penso, estava em condições de circular.

Contornei como pude o animal, já combalido e (aparentemente) quase morto e, mal disposto com o que acabava de presenciar, segui o meu caminho.

Foi já em casa e recuperado do choque que comecei a reflectir sobre a atitude a tomar se uma infelicidade destas acontecesse comigo.

O que é suposto fazermos nestes casos? Ligar para o 112? Ligar para o veterinário? Ligar para os Bombeiros ou para a Polícia? Presumo que abandonar o local não seja opção e nem sequer a coloco…

Sinceramente não sei e espero nunca precisar de tal informação.

Mas, sinceramente, fiquei com esta dúvida…

4 Replies to “O que fazer?”

  1. Marília says:

    Boa pergunta!
    Não me parece que o 112 ou a Polícia estivessem muito interessados em tomar nota dessa ocorrência. Eu sei a quem ligava… Ih, ih, ih!
    Há cerca de 2 anos (ainda a Elisa estava em Vila Real), em Ferreiros, assisti ao atropelamento de um cãozinho. O senhor que o atropelou parou mas também não sabia o que havia de fazer. Eu não consegui ir embora dali e, como encontramos o dono, insistimos com ele para levar o bichinho ao veterinário, mas o homem não queria e só dizia: “Ele já não se safa.” Apesar de não concordar, só tinha que respeitar e fui embora.
    O bom é que ainda hoje, ao passar nessa zona, vejo o mesmo cãozinho, aparentemente de boa saúde.

  2. Marília says:

    Boa pergunta!
    Não me parece que o 112 ou a Polícia estivessem muito interessados em tomar nota dessa ocorrência. Eu sei a quem ligava… Ih, ih, ih!
    Há cerca de 2 anos (ainda a Elisa estava em Vila Real), em Ferreiros, assisti ao atropelamento de um cãozinho. O senhor que o atropelou parou mas também não sabia o que havia de fazer. Eu não consegui ir embora dali e, como encontramos o dono, insistimos com ele para levar o bichinho ao veterinário, mas o homem não queria e só dizia: “Ele já não se safa.” Apesar de não concordar, só tinha que respeitar e fui embora.
    O bom é que ainda hoje, ao passar nessa zona, vejo o mesmo cãozinho, aparentemente de boa saúde.

  3. Cof, cof… Opinião de profissional: A primeira coisa que se deve fazer é tentar encontrar o dono (obviamente não deves demorar mais do que 2 minutos a fazê-lo!). Se não o encontrares deverias ligar ao Veterinário Municipal, mas como este só “trabalha” das 09-12 e das 15-17h, acho que não tens muita sorte. A polícia ou os bombeiros ainda sabem menos o que fazer do que tu. Se a consciência te pesar e estiveres decidido a gastar uns cobres, podes levá-lo ao veterinário mais próximo (em distância…), isto se o bicho já não se pôs a milhas a mancar de uma das patas. Se continuar estendido no chão e a respirar, só te dou um conselho: tem MUITO cuidado… Está com MUITAS dores e não vai gostar que um estranho lhe ponha as mãos. Já há clínicas com uma espécie de ambulâncias, mas provavelmente demoram a chegar.

    São bichos que precisam de tratamentos caros e não te esqueças os veterinários são médicos privados (não há cá grandes descontos e nem o juramento de Hipócrates lhes vale).

    Muitas vezes os canitos têm dono e eu pessoalmente gostaria que alguém salvasse o meu cão até me conseguir localizar… (Espaço publicitário: Microchips a 25 euros!…)

    Sou suspeita mas tenho uma regra: se atropelar, trato, mas tenham lá paciência, se o cão tem dono e andava solto, é “a meias”… Cão não pode andar sem trela na rua (está na lei!)… e também representou um perigo para mim! Se não tem dono… bem… ficas com um cão novo… ou arranjas-lhe uma casa.

    Eu não sei, mas acho que tenho uma ideia daquilo que tu farias…

  4. Cof, cof… Opinião de profissional: A primeira coisa que se deve fazer é tentar encontrar o dono (obviamente não deves demorar mais do que 2 minutos a fazê-lo!). Se não o encontrares deverias ligar ao Veterinário Municipal, mas como este só “trabalha” das 09-12 e das 15-17h, acho que não tens muita sorte. A polícia ou os bombeiros ainda sabem menos o que fazer do que tu. Se a consciência te pesar e estiveres decidido a gastar uns cobres, podes levá-lo ao veterinário mais próximo (em distância…), isto se o bicho já não se pôs a milhas a mancar de uma das patas. Se continuar estendido no chão e a respirar, só te dou um conselho: tem MUITO cuidado… Está com MUITAS dores e não vai gostar que um estranho lhe ponha as mãos. Já há clínicas com uma espécie de ambulâncias, mas provavelmente demoram a chegar.

    São bichos que precisam de tratamentos caros e não te esqueças os veterinários são médicos privados (não há cá grandes descontos e nem o juramento de Hipócrates lhes vale).

    Muitas vezes os canitos têm dono e eu pessoalmente gostaria que alguém salvasse o meu cão até me conseguir localizar… (Espaço publicitário: Microchips a 25 euros!…)

    Sou suspeita mas tenho uma regra: se atropelar, trato, mas tenham lá paciência, se o cão tem dono e andava solto, é “a meias”… Cão não pode andar sem trela na rua (está na lei!)… e também representou um perigo para mim! Se não tem dono… bem… ficas com um cão novo… ou arranjas-lhe uma casa.

    Eu não sei, mas acho que tenho uma ideia daquilo que tu farias…

Comentários fechados.