Os EUA, a Polónia, a Russia e a UE

Foi ontem assinado em Varsóvia, capital da Polónia, um acordo para a instalação de parte do escudo anti-míssil norte-americano na Polónia. O pretexto: a defesa do estado americano contra um imaginário ataque bélico por parte do Irão.

O acordo prevê a instalação de 10 misseis de intercepção com um alcance máximo de 3 mil km, a cedência, por parte dos Estados Unidos de 96 misseis Patriot de última geração para defesa aérea e contra mísseis de curto alcance e também a obrigação dos Estados Unidos defenderem a Polónia de ataques externos obrigando estes a um tempo de resposta significativamente mais baixo que a NATO. NATO da qual a Polónia faz parte juntamente com mais 25 países entre eles os Estados Unidos da América.

Olhando agora para os termos do acordo, na minha opinião, algo não bate certo.

Que eu saiba, a Polónia entrou em 2004 para a União Europeia juntamente com Malta, Chipre, Eslovénia, Estónia, Letónia, Lituânia, República Chega, Eslováquia e Hungria. Ao entrar na União, a Polónia passou a estar, automaticamente sobre protecção da Politica Europeia de Segurança e Defesa e que deveria ter sido rectificado pelo Tratado de Lisboa.

Posto isto, compreendo se calhar um pouco melhor agora a recusa do presidente polaco em rectificar o tratado, justificando tal medida com a questão Irlandesa da não rectificação do mesmo.

Independentemente disto tudo, estranho também o silêncio aterrador da Presidência da União Europeia, na pessoal do seu Presidente Nicolas Sarkozy. Estranho o silêncio aterrador da Comissão Europeia e do seu Presidente José Manuel Barroso.

Por outro lado, não estranho o ruído que esta notícia causa pelas esferas políticas e militares da Rússia. Imagino que não seja fácil para um país como a Rússia, ter um sistema anti-míssil a 200km das suas fronteiras. A reacção, segundo os responsáveis russos será dura e não ficará limitada a palavras de circunstância. Há até quem especule que a assinatura do acordo abrirá um pretexto para a Rússia atacar a Polónia.

O que se seguirá?

Não costumo fazer futurologia. Mas não me parece difícil perceber que a relação EUA – Rússia – EU ficará muito mais delicada. Acredito também que, à primeira oportunidade, a Rússia responderá à altura no continente Americano – Cuba e Venezuela são os candidatos óbvios.

A verdade é que, juntando este acordo – e o próximo que será assinado com a República Checa – aos recentes acontecimentos na Geórgia, parece-me claro afirmar que a Guerra Fria está de volta. Isto volta a por em cima da mesa algumas perguntas que faço a mim mesmo há alguns anos a esta parte: para quando uma politica militar séria e a sério na União Europeia? Estamos hoje mais ou menos preparados para enfrentar tensões EUA – Rússia ou EUA – China? Eu não sei responder a estas questões. Haverá alguém no mundo que saiba?

Actualização: A Rússia congelou oficialmente a cooperação militar com a NATO até indicações em contrário. Uma das consequências imediatas prende-se com o futuro da intervenção militar no Afeganistão já que Moscovo pode suspender a autorização de sobrevoo do espaço aéreo Russo…

2 Replies to “Os EUA, a Polónia, a Russia e a UE”

  1. Sabinita says:

    Parece que o Mundo, Europa, Portugal anda muito a leste de todas estas questões que colocas, muito pertinentes por sinal!
    Sabes que isto dos confrontos EUA – Russia – Polónia e afins é algo que deve preocupar o Mundo em geral, mas “ninguem está para ai virado”!Prefere-se andar para ai cada um na sua vidinha, a olhar pelo seu quintal e viver com os olhos bem fechados, com a desculpa que “afinal somos tão pequeninos…”.

    Eu infelizmente não tenho resposta para uma única pergunta que colocaste, mas vou tentando contornar a maresia… Eu não posso mudar o mundo, mas pelo menos tento ser e contribuir para o MEU (o Porto) de alguma forma, pois é aos poucos que vamos mudando a nossa realidade, tento ser menos egoista e olhar mais para os lados, tento manter os meus ideais e não deixar cair as verdades em que acredito, sei lá, tento ser eu!

    Respostas não tenho para este possivel caos, mas como diz e muito bem Fernando Pessoa, “Tenho em mim todos os sonhos do Mundo” e com eles não deixo que a corrente me arraste, tento sempre pôr em marcha o MOTOR DA VIDA!

    Obrigada por estes momentos e me pores a pensar hoje, amanhã e espero que sempre!

  2. Sabinita says:

    Parece que o Mundo, Europa, Portugal anda muito a leste de todas estas questões que colocas, muito pertinentes por sinal!
    Sabes que isto dos confrontos EUA – Russia – Polónia e afins é algo que deve preocupar o Mundo em geral, mas “ninguem está para ai virado”!Prefere-se andar para ai cada um na sua vidinha, a olhar pelo seu quintal e viver com os olhos bem fechados, com a desculpa que “afinal somos tão pequeninos…”.

    Eu infelizmente não tenho resposta para uma única pergunta que colocaste, mas vou tentando contornar a maresia… Eu não posso mudar o mundo, mas pelo menos tento ser e contribuir para o MEU (o Porto) de alguma forma, pois é aos poucos que vamos mudando a nossa realidade, tento ser menos egoista e olhar mais para os lados, tento manter os meus ideais e não deixar cair as verdades em que acredito, sei lá, tento ser eu!

    Respostas não tenho para este possivel caos, mas como diz e muito bem Fernando Pessoa, “Tenho em mim todos os sonhos do Mundo” e com eles não deixo que a corrente me arraste, tento sempre pôr em marcha o MOTOR DA VIDA!

    Obrigada por estes momentos e me pores a pensar hoje, amanhã e espero que sempre!

Comentários fechados.