benfica, fcporto, futebol

Jornalismo de sargeta

Vou falar de desporto.

Minto, isto de desporto não tem nada. Vou falar de futebol.

Ups, minto novamente. Isto de futebol já tem muito pouco, infelizmente.

Vou falar sobre uma guerra entre dois clubes que está a destruir o futebol em Portugal.

Mais do que isso, vou-me juntar a essa guerra e, com um pouco de gasolina, incendiá-la um pouco mais. Vou dar um exemplo muito simples do que não deve ser um jornalista desportivo. Pelo menos um que não consegue despir as cuecas vermelhas que tem vestidas.

Vítor Serpa (vspera@abola.pt), jornalista do jornal “A Bola”, no dia a seguir ao jogo do bi-campeão nacional no Algarve escrevia num editorial titulado “Como é possível James ficar de fora?”:

Fez bem o FC Porto em pressionar a Liga e levar o jogo com o Olhanense para o Estádio do Algarve.

Começa logo mal. Primeiro não foi o FC Porto, o bi-campeão nacional a pressionar a alteração do local de jogo. Foi a direcção da Olhanense que solicitou a alteração do local do jogo, tal como tinha feito na primeira jornada. Para o director do maior jornal desportivo do país não saber isto, é grave. Mais grave ainda é saber e escrever o que escreveu. Nenhuma das opções é muito recomendável.

Continua mais à frente:

Foi um bom espetáculo, apesar das óbvias diferenças de qualidade e quantidade e pena foi que apenas tivesse sido visto, ao vivo, por menos de dez mil espetadores. Continua, aliás, a não se compreender muito bem como é possível que tão poucos portistas acompanhem o bicampeão nacional.
(negritos meus)

Oficialmente, o jogo foi visto por 9,498 espectadores, a que corresponde 32% da lotação do estádio.

Vítor Serpa sabe, ou devia saber, que fazer Porto-Loulé-Porto, não é o mesmo que fazer um Lisboa-Faro-Lisboa. Só por comparação, a viagem de comboio, ida e volta nunca fica por menos de 100€ em comparação com os 43€ da viagem a partir da capital.

Ah, e tal e coiso e cenas e o Porto deveria ter adeptos em tudo o que é lugar já que ganha muitos títulos.

Verdade. Tal como o mito de que o slb tem adeptos em todo o país – e tem, mas não em número ou qualidade que muitos apregoam.

O problema, pelo menos para Vítor Serpa, é que o mais maior grande clube do mundo e quem sabe de Portugal, esteve domingo em Coimbra. E em Coimbra – clube que como sabemos até tem mais adeptos que a Olhanense – estiveram 8,270 espectadores a que corresponde 28% da lotação do estádio.

Claro que Vítor Serpa não vai fazer um editorial sinalizando essa diferença.

Mas depois admiram-se quando verificam que no ano 2000 tinham uma tiragem de 150.000 exemplares para um volume médio de vendas de 100.000 e hoje não consigam vender muito mais que 50.000 exemplares.

 

Standard
fcporto, imagens, mundo

Enorme Lucho Gonzales

Grande, grande, grande, grande, grande Lucho Gonzales.

Não pelo golo que marcou hoje, em Zagreb, que abriu as contas da vitória final de 0-2 sobre o Dínamo local. Isso são peanuts.

imagem uefa.com

Apenas e só porque, mesmo após saber do falecimento de seu pai, mesmo depois de toda a estrutura da SAD azul-e-branca o colocarem à vontade para qualquer decisão que quisesse tomar, decidiu ir a jogo e ajudar a equipa num momento particularmente difícil para si e para os seus ente queridos.

Um verdadeiro Homem.

PS: Nunca a braçadeira de capitão do meu clube esteve tão bem entregue…

Está a fazer agora 5 anos que falei de Lucho pela primeira vez aqui.

Standard
fcporto

O divórcio

Dizia eu aqui, sobre André Villas-Boas:

[…] impressiona pela regularidade, pelo carisma e acima de tudo pela cumplicidade que mantém com os adeptos, jogadores e dirigentes. Um casamento perfeito.

A verdade é que dois só dançam se ambos quiserem. E um deles não quer.

Tentei, ao longo das últimas horas ser racional e perceber que uma oferta 5 ou 6 vezes superior à que temos hoje não se rejeita.
É humano e compreende-se. No lugar dele, provavelmente faria o mesmo.

Mas não consigo perceber todas as juras de amor e o imenso contentor de ilusões com que se nos vendeu nos últimos 12 meses…

Estou na minha cadeira de sonho não há motivo algum que me faça prescindir dela.

São palavras dele não há muito tempo. E não são palavras de circunstância. Pareciam genuínas. A verdade é que se mostraram serem vazias. De razão e de sentido.

Agradeço a André, tudo aquilo que nos deu no último ano. Foi um ano inesquecível.

  • A conquista da Supertaça, logo em Agosto, quando o adversário só dizia que ganharia pelo menos 3-0;
  • Os 5-0 do Dragão;
  • A conquista do campeonato em pleno estádio do maior rival;
  • A recuperação histórica de uma eliminatória depois de ter perdido em casa 2-0;
  • O ter terminado o campeonato sem derrotas, derrubando um mito que muitos diziam inatingível;
  • As sucessivas vitórias na Liga Europa, terminando com o record de vitórias numa competição europeia e a conquista da mesma;
  • A vitória na final da Taça, após 2 dias a festejar a conquista da Liga Europa.

Foi um ano de ilusão crescente em que, no início, muitos – eu incluído – não acreditavam no seu valor.

Agora, com um estrondo, abandona-nos. Está no seu pleno direito. Quer outros desafios. Provavelmente percebeu que cá já não tinha nada a ganhar e nada a perder. Mas não precisava de nos encher de ilusões e, se fosse homem, tinha partilhado logo essa sua vontade e não a uma semana de começar a época.

Entretanto, como muitas outras vezes, Rei morto, Rei posto.

Não sei se Pinto da Costa – o único insubstituível – foi apanhado de surpresa. Ele diz que não. Eu acredito que sim.

Não sei se Vítor Pereira será o treinador ideal. Não será fácil o seu trabalho. Mas tenho que partilhar que, para mim, a partir do momento que o outro nos deixou, foi a minha primeira escolha. A uma semana de começar a época a opção teria que ser de continuidade. Só falta saber se Vítor Pereira – o melhor treinador do mundo desde ontem – tem unhas para a guitarra que tem em mãos. A ele desejo-lhe toda a sorte do mundo. A sorte dele serão as minhas – e de muitos milhares – alegrias.

Ao outro, que nos deixa assim, dizendo que “o único compromisso que tem é com as vitórias” cá estaremos para ver o que o futuro lhe reserva.

PS: Não consigo deixar de esboçar um sorriso quando vejo adeptos adversários – principalmente de um clube encarnado – regozijarem-se por esta alteração. Os mesmos que nem há dois meses diziam que apenas ganhava-mos devido aos árbitros são os primeiros agora a reconhecer a competência do outro. Nada que nós, os portistas já não tenhamos visto antes e tenhamos previsto que aconteceria.

Standard
fcporto, futebol

FCPorto: Notícia de Última Hora

Notícias de última hora: o dono do Chelsea FC, Roman Abramovich, depois de comprar André Libras-Boas, prepara-se para, em novo golpe de teatro, contratar as riscas brancas do equipamento do maior clube Português, tentando transformar assim, um clube rico num clube vencedor. Ninguém lhe disse que, 900 milhões de euros depois, temos mais títulos europeus em dez anos que o Chelsea a vida inteira.

PS: Pinto da Costa já fez saber a André Libras-Boas, que se quiser levar com ele a cadeira de sonho, tem que pagar mais 5 milhões de €uros.

Standard
braga, fcporto, futebol, videos

Inesquecível, mas não irrepetível

Em 2003, após uma final europeia José Mourinho dizia que aquela final contra o Celtic seria inesquecível mas não irrepetível.

Pois bem, 8 anos depois, vamos para a nossa segunda-final europeia após essas palavras, a nossa terceira em menos de 10 anos.

Aconteça o que acontecer, ganhemos ou percamos, a verdade é que o melhor clube português, continua a dar-me, anos após ano, alegrias imensas. Contra a inveja, contra a mal-discência de alguns iluminados e da comunicação social que os suporta.

Para ouvir, bem alto:


vídeo retirado do excelente mística do dragão

Standard
fcporto, futebol, videos

Campeão

Independentemente do que se passar amanhã:

Standard
braga, fcporto, futebol

Obrigado Professor

Agora que é oficial, deixem-me dizer do que não gostei, do que não gosto e que não tenho memória curta.

Não gostei que um homem que nos defendeu nos últimos 4 anos seja dispensado assim…
Não gosto que um clube – o meu clube – trate assim o nosso maior defensor público nos últimos quatro anos…
Não tenho memória curta para me esquecer em que condições o prof. pegou na minha equipa, uns dias depois da final supertaça ganha ao Setúbal.

Foram 4 anos muito difíceis, com reconstruções de equipas em todas as épocas – que ninguém se esqueça que todos os anos a equipa base foi vendida – e em todos os 4 anos fomos melhorando:

  • Época 2006/07: 38 jogos, 25 vitórias (66%), 76/27 em golos
  • Época 2007/08: 46 jogos, 33 vitórias (72%), 81/24 em golos
  • Época 2008/09: 52 jogos, 33 vitórias (63%), 93/44 em golos
  • Época 2009/10: 51 jogos, 37 vitórias (73%), 108/44 em golos
  • Total: 188 jogos, 128 vitórias (68%), 358/139 em golos

Irónico como, matematicamente o prof. faz a sua melhor época e é dispensado.

Acredito que não tenha suportado a pesada derrota em Londres contra o Arsenal (5-0), a derrota no Algarve para a final da Taça da Liga (3-0) e, mais importante, não tenha conseguido garantir a presença na pré-eliminatória da Champions via 2º lugar no campeonato perdendo a posição para o Braga.

Foram 4 anos de ataques constantes e diários. Com lutas na secretaria e ataques na comunicação social. A tudo o prof. foi respondendo com categoria, vitórias e exibições q.b.. Da administração, nunca se ouviu uma palavra de apreço, de defesa do treinador e do grupo e de contra-ataque ao golpes que fomos sofrendo ano após ano. Estamos moles e este tipo de actuação não representa o meu clube.

Mas foram também 4 anos de vitórias, muitas. De alegrias, muitas também. E por isso, eu que não tenho memória curta digo-o sem problemas: Obrigado Professor Jesualdo.

PS: Quem vier a seguir terá um trabalho Herculano Hercúleo pela frente. Os sócios e adeptos querem nada mais nada menos que a Liga Europa e campeonato. Querem exibições de sonho e goleadas em todos os jogos. Querem encanto e serem encantados. Quem vier a seguir está lixado com f maiúsculo.

Standard
fcporto, futebol, imagens

Obrigado Capitão

Pedro Emanuel

Pedro Emanuel - a Justa Homenagem

foto record.pt

Standard