Falar antes ou depois do almoço

Já um conhecido ex-presidente de um clube de futebol dizia há uns anos: “Temos que saber se foi dito antes ou depois do almoço“.

É o que me apetece dizer de Jean-Claude Juncker, o presidente da comissão Europeia:

Juncker em Fevereiro:
Capture

Juncker ontem, em plena crise do Euro:
Capture

A verdade de Fevereiro não é a mesma em Junho?

Se eu fosse Grego

Grécia

Se fosse Grego, e tivesse que decidir o meu voto no referendo do próximo domingo, o que faria?

A verdade é que não sei e dou graças a Deus, por neste momento, não ser Grego.

Mas sei que o que os Gregos estão a passar agora será aquilo que nós Portugueses podemos passar daqui a uns meses… ou semanas…

A Grécia deveria pagar 1.6 mil milhões de euros ao FMI. Deveria também receber a ultima tranche da ajuda de 7 mil milhões de euros. Destes, praticamente nada entraria no país já que serviria para pagar… a bancos franceses e alemães 1.

Desde 2010 a economia da Grécia caiu 25%É verdade que os Gregos não têm ninguém a não ser d’eles mesmos de quem se queixar.
Andaram – tal como nós – anos a viver acima das possibilidades, com fuga aos impostos e improdutividade tal que chegaram ao ponto de não retorno e tiveram que pedir dinheiro.

Mas as condições impostas pela troika nos últimos 5 anos resultaram em quê? Previsões falhadas que deveriam envergonhar o caloiro economista acabado de sair da faculdade. Desespero, desemprego, depressão – um aumento de 35% de suicídios nos últimos 5 anos – e um aumento de 150% na prostituição 2, são estes os números que a troika tem para apresentar.

Sem moeda própria para poder controlar, nem sequer com capacidade de imprimir dinheiro e desvalorizar o mesmo nesta altura, não há muito que os Gregos possam fazer. O Euro chegou com um presente envenenado para a Grécia, e para todos nós: o fim da soberania nacional. Não por acaso, os suecos disseram não ao Euro em referendo.

Voltemos à Grécia… 75% da sua economia é interna3, pelo que uma eventual saída do Euro, embora dolorosa, não será catastrófica. Os restantes 25% da economia são efeitos do turismo que só beneficiará de uma moeda barata. Claro que a importação de alguns bens essenciais será mais cara, mas os Gregos estariam em condições de crescer economicamente, o que não acontecerá nos próximos anos com o Euro, seja com a troika ou sem troika.

Uma palavra final para os mercados. As dívidas publicas soberanas passaram a ser, nos últimos anos, uma forma rápida de foder os povos. Krugman perguntava há uns dias se o FMI sabia o que estava a fazer (no caso da Grécia) e responsabilizava-os directamente por uma possível saída da Grécia da eurozona. A verdade é que o falhanço da Grécia, não é um falhanço dos Gregos. É primariamente um falhanço do Euro como moeda e como ideologia. E, no limite, os Gregos recuperavam a sua soberania o que lhes pode permitir sonhar com crescimento. Que é um pouco mais que podemos dizer de nós próprios.

Se eu fosse Grego, se calhar, no domingo votava não, mas para isso é preciso tê-los no sítio e estar preparado para cair (ainda) mais.

planetasoares: 8 anos

its-my-birthday-4[1]

Parece que foi ontem. Parece que foi há uma eternidade.

Na verdade, foi a 11 de junho de 2007 que, depois de registar o domínio, criei o blog e migrei os conteúdos do blogspot para aqui.

E nem tinha dado por ela, não fosse o caso de ter recebido um SMS do calendário do Google a avisar.

Já tive meses com muitas entradas (mais de 20). Já tive meses seguidos sem um único post.

Mas o objectivo original do blog mantém-se: escrever sobre qualquer coisa que me venha à cabeça.

Um abraço e uma fatia de bolo virtual para cada um de vocês.

 

Netflix em Portugal

1000px-Netflix_logo.svg[1]

Parece mentira, mas a gigante americana anunciou ontem a chegada a Portugal.

Será o principio do fim dos operadores de televisão tal como os conhecemos e agora só falta garantir planos de acesso à Internet sem a merda de 200 canais de televisão atracados. E resolver o buraco que passará a ser a emissão de eventos desportivos em directo e podem enfiar os canais no sitio que eu cá sei acabar com os pacotes de televisão.

Ah, e nota importante, ter Internet em condições sem pagar um balúrdio é essencial, não é Meo? Isso de pedir 22€/mês por um acesso internet ADSL até 12 mbits já acabava, não?

PS: quem não sabe o que é o Netflix (convém saír do Facebook de vez em quando) tem aqui um vídeo de um minuto que apresenta o serviço.

PPS: Dois artigos num dia só? Devo estar doente.

Abertura da “época grelhar”

Este blog tem estado parado.

Não é tanto a falta de temas para falar ou falta de tempo.

Não são também as velhas e novas redes sociais que retiram visibilidade ou conteúdos ao blog já que não sou activo em nenhuma delas.

É apenas a falta de vontade. Este espaço serve para eu falar de tudo – do desporto à política – para falar do que me apetece e quando me apetece. E quando não apetece à mente, o corpo obedece.

Assim, é natural que, meses depois – 5 para ser exacto – dos ataques dos mentecaptos de Paris, volte a escrever neste espaço.

Abertura da “Época Grelhar”

150606-DSC_0250

Ontem, em Braga, esteve uma temperatura bem acima dos 35º Celsius (sim, é preciso especificar porque tenho visitantes americanos… uns 3 ou 4 por ano).

Por isso, nada melhor que pegar no grelhador, colocar umas pedrinhas de carvão e… aguentar um calor tremendo somado à temperatura do grelhador e trabalhar meia dúzia de peças. O que vale é que havia sempre uma Super Bock fresquinha para acompanhar.

Prontos. Era só isto…

Islão ou Terrorismo?

Cherb

Charb é um dos quatro cartoonistas assassinado hoje na redação do jornal satírico francês Charlie Hebdo.

O mesmo costumava dizer sobre as ameaças de morte que recebia de islamistas:

“I am not afraid of retaliation. I have no kids, no wife, no car, no credit. It perhaps sounds a bit pompous, but I prefer to die standing than living on my knees.”

Não tenho medo de retaliações. Eu não tenho filhos, mulher, carro ou crédito. Pode até soar um pouco pomposo, mas prefiro morrer de pé do que viver de joelhos.

Ele e os outros 11 que foram cobardemente assassinados que possam descansar em paz.

Casados há 13 anos

Parece que foi ontem.

Não foi, foi há 13 anos atrás.

Espero que sejas tão feliz quanto eu.

Obrigado por tudo!

PS: Era suposto termos este dia para nós. Decidiram acabar com o nosso feriado… :(

Estou inocente

BES
Notícia do Expresso sobre o BES

Fiquem descansados. Não é nada comigo!